quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Benefícios Pessoais no acesso ao Esporte Juvenil!



                          Côté (2016) levanta a seguinte questão: Quais os elementos comuns nos programas do esporte juvenil que promovem desempenho, participação continuada e desenvolvimento pessoal?

                          O processo dinâmico de desenvolvimento no esporte juvenil está relacionado ao:

1) Envolvimento pessoal nas atividades: as atividades diárias do esporte (prática, jogos e a brincadeira);

2) Relacionamentos de qualidade: a interação com os treinadores, pais e colegas que se envolvem com os jovens no esporte;

3) Cenários apropriados: os ambientes micro e macro em que as atividades e os relacionamentos estão acontecendo (campo, arena, clube e cidade);

4) Tempo: mudanças ocorrendo ao longo do tempo. (Bronfenbrenner,         1977;  Côté,  Strachan,       &            Fraser-Thomas,        2008)

                          A estrutura dos benefícios pessoais para o esporte, ao longo do tempo, compreende os elementos dinâmicos do envolvimento diário nas atividades, dos relacionamentos de qualidade e cenário apropriado, que levarão às mudanças nos indivíduos; tendo como benefícios pessoais: a competência, a confiança, a conexão e o caráter, obtivendo, desta forma,  como resultado os 3 P´s (do inglês "Participation, Performance and Personal Development"): participação, desempenho e desenvolvimento pessoal.

                         Os benefícios pessoais, os 4 C´s dizem respeito a:

1)     Competência: visão positiva da sua ação no esporte, aprendendo um esporte específico, habilidades, competindo e desempenhando;

2)     Confiança: um sentido interno positivo de autoestima no esporte;

3)     Conexão: laços positivos com pessoas e instituições no esporte;

4)     Caráter: respeito pelas regras, integridade e empatia pelos outros. (Côté, Bruner,           Erickson,       Strachan,       &         Fraser-Thomas,        2010;  Jelicic,            Bobek,           Phelps, Lerner,         &         Lerner,           2008;  Lerner,           2004)

            O efeito do local de nascimento nos Eua, Canadá, Reino Unido, Austrália, Finlândia e Suécia relacionado ao aumento de participação, desempenho e desenvolvimento pessoal:

1- A maior proporção de atletas de elite vem de pequenas cidades (desempenho);

2- A participação no esporte juvenil é maior nas cidades pequenas (participação);

3- Os participantes do esporte juvenil das pequenas cidades, percebem um maior benefício do desenvolvimento (desenvolvimento pessoal).

            O porque destes resultados em relação ao efeito do lugar de nascimento:

- Cenários com menos pessoas em uma idade jovem aumenta o envolvimento em papéis diferentes, prazer e esforço pessoal (Barker, 1978);

- Cenários com menos pessoas fortalecem o autoconceito através de comparações sociais favoráveis (efeito de dominância de local, Gardner,      Gabriel,          &         Hochschild,    2002);

- A integração do sistema esportivo com a família, a escola e a comunidade criam um ambiente de aprendizado positivo (NRCIM, 2002);

- O ambiente natural e construído de cidades pequenas devem promover atividades lideradas pela juventude;

- A acessibilidade às instalações talvez seja mais importante do que a qualidade durante a infância;

- Os programas de esporte juvenis em cidades maiores podem ser super organizados e treinados nos primeiros anos;

- Variabilidade na idade, tamanho e habilidade dos jogadores em cidades pequenas;

- Os modelos a seguir podem ser mais influentes em cidades pequenas. (Balish   &         Côté,  2013;            Côté,  Turnnidge,     &         Evans, 2015)                       


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Cérebro Saudável na Escola!

Este Projeto Psicoeducativo de Qualidade e Inovador denominado "Cérebro Saudável na Escola: Educando o Cérebro através dos Jogos Cognitivos", propõe adquirir aptidões cognitivas-emocionais-sociais através dos Jogos Cognitivos. Voltado aos alunos de todas as idades!!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Habilidades necessárias ao Profissional do Futuro!

De acordo com Schwab (2016): "Estamos a bordo de uma Revolução Tecnológica que está transformando profundamente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação acontece diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes". Segundo o mesmo autor, em função das transformações ocorridas no mercado de trabalho, o ser humano deverá desenvolver 10 habilidades até 2020. Fundador do World Economic Forum (WEF) e autor da A Quarta Revolução Industrial (2016) afirma que: “a humanidade está ingressando na Quarta Revolução Industrial, uma nova era em que a união de tecnologias digitais, físicas e biológicas modificará drasticamente não apenas o modo como vivemos, mas a maneira como trabalhamos e faremos negócios.”
                As 10 habilidades do Profissional do Futuro são:
1. Resolução de problemas Complexos;
2. Pensamento Crítico; 
3. Criatividade; 
4. Gestão de pessoas;
5. Coordenação com os outros;
6. Inteligência Emocional; 
8. Orientação de serviço;
9. Negociação;
10. Flexibilidade cognitiva.
O desenvolvimento humano ocorre continuamente, desde os tempos mais remotos, porém, os acontecimentos dos últimos anos, tem colaborado para a aceleração deste. Temos a sensação de que o dia tem menos de 24hs, de que o tempo diminuiu, para acompanharmos tantas transformações. Será que estamos preparados para o que ainda está por vir? O que efetivamente estamos fazendo hoje para aprimorar as habilidades que já temos e desenvolver as novas que serão necessárias? O futuro já está aí, cada vez mais as exigências de competências envolvendo o relacionar-se melhor consigo (Autogestão) e com o outro (Gestão de Pessoas), serão a tônica em todos os ambientes de trabalho. É interessante notar, que as habilidades citadas por Schwab, estão relacionadas diretamente com aspectos mentais e emocionais do indivíduo, mesmo com toda a revolução tecnológica presente hoje e no futuro, o maior desafio será mesmo a disposição para a mudança interna, a partir de cada um, e que terá reflexo nos outros e nas suas relações!


 SCHWAB, K. A Quarta Revolução Industrial, Edipro, São Paulo, 2016.  

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

TDAH em Crianças: O que é e como tratar!

            O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH, somando dois grupos de sintomas) é uma das desordens psiquiátricas mais comuns na infância, variando de 3 a 10%, com maior frequência em meninos (12%), e em meninas (6%). Os sintomas característicos são: desatenção, inquietude e impulsividade (em mais de um ambiente). Existem crianças que podem apresentar somente o Transtorno de Déficit de Atenção (TDA), mais comum em meninas, e ainda outras, com Transtorno de Hiperatividade, com os meninos compondo a sua maioria.
            Os portadores do TDAH apresentam alterações na região pré-frontal e nos neurotransmissores (em especial, dopamina e noradrenalina). Essa região do cérebro é justamente responsável pelo autocontrole do comportamento social, pela capacidade de prestar atenção, memória executiva, organização e planejamento. Esse transtorno pode ter causas genéticas (filhos de pais com TDAH tem maior chance), congênitas (exposição ao álcool, cigarro ou medicações durante a gestação aumentam a incidência) ou ambiental. Na vida adulta pode reduzir consideravelmente, em 70 a 90% dos pacientes. No entanto, pode retornar em caso de privação de sono, uso de drogas ou outros fatores ambientais.
            Alguns dos sintomas clínicos e que sugerem investigação diagnóstica, em crianças de 6 a 12 anos, são:
- Se distrai facilmente, fixa atenção poucos segundos em cada objeto;
- Trabalhos escolares pouco organizados, com erros e incompletos;
- Perturba a classe respondendo antes do seu tempo, não fica sentada em seu lugar;
- Não espera a sua vez nos jogos e brincadeiras;
- Demora muito tempo para fazer as suas tarefas;
- Meninos: hiperatividade e impulsividade;
- Meninas: déficit de atenção.
            Importante lembrar que estes pacientes também têm aspectos positivos, como: expansivo, criativo, independente, rapidez e agilidade mental, jovialidade e interatividade social.
            O tratamento do TDAH, através da medicina convencional, se dá pela prescrição de potentes drogas estimulantes, como a lisdexanfetamina e metilfenidato. Apesar de certa eficiência, no longo prazo, essa abordagem medicamentosa pode levar a vários efeitos colaterais, como: distúrbios do sono, alterações de pressão arterial e frequência cardíaca e inapetência. Sugere-se algumas medidas complementares para auxiliar o tratamento deste transtorno:
1)    Melhorar o sono (quando inadequado interfere negativamente na forma de pensar, funcionar e se comportar);
2)    Atividade física;
3)    Melhoria da dieta e redução da toxidade ambiental (sensíveis à interferência cerebral que alguns alimentos e toxinas podem causar, apresentam nutrientes, como ômega-3, zinco, ferro, magnésio, vitaminas B6 e D3, em níveis inferiores);
4)    Uso de suplementos;
5)    Uso de aminoácidos e fitoterápicos;
6)    Treinamento Psicofuncional (positiva a participação de um psicoterapeuta que ensine ao paciente e familiares, estratégias que melhorem seu desenvolvimento e socialização);
7)    Atividades estimuladoras da atenção voluntária (Meditação, Yoga, Tai chi).
Essa combinação da medicina convencional às abordagens mais naturais, como dieta, exercícios, mudanças no estilo e vida, uso de nutracêntricos para o cérebro, intervenção psicólogica e educacional, promovem uma melhora mais significativa dos sintomas dos pacientes com TDAH, do que, se optar exclusivamente pelo tratamento com remédios. 



Fonte: Revista Essentia – 11ª. Edição – Abril/2017.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Saúde Emocional: como anda a sua?!

O quanto de tempo e energia você tem dispendido cuidando da sua saúde mental e emocional? As pessoas têm tido um exagero na preocupação com a alimentação, Ph da água, produtos sem lactose, sem glúten, sem açúcar, mas não dão a devida importância ao manejo de suas emoções.
O médico, Dr. Juan Hitzig, desenvolveu o Programa Médico Longevo, com o objetivo de prevenir, tratar e reverter os efeitos do stress, envelhecimento e as enfermidades ligadas ao mesmo. Estudou durante mais de 40 anos, as características de alguns longevos saudáveis (pessoas entre 85 e 100 anos) e concluiu que além das características biológicas, o denominador comum entre todos eles, estava, em suas condutas e atitudes. Cada pensamento gera uma emoção e esta mobiliza um circuito hormonal que terá impacto nos trilhões de células que formam o organismo. As condutas “S”: serenidade, silêncio, sabedoria, sabor, sexo, sono, sorriso, promovem secreção de serotonina. Enquanto as condutas “R”: ressentimento, raiva, rancor, repressão, resistência, facilitam a secreção de cortisol, um hormônio corrosivo para as células, que aceleram o envelhecimento. As condutas “S” geram atitudes “A”: ânimo, amor, apreço, amizade, aproximação. As condutas “R”, ao contrário, geram atitudes “D”: depressão, desanimo, desespero, desolação.
Segundo ele, aprendendo e aplicando esse alfabeto emocional, viveremos mais tempo e melhor, pois o “sangue ruim” (muito cortisol e pouca serotonina) deteriora a saúde, oportuniza as doenças e acelera o envelhecimento. A explicação se sustenta no sistema Psico-Neuro-Imuno-Endócrino, a influência que exerce a neuroquímica gerada por nossos pensamentos e sentimentos sobre o sistema hormonal e imune, e estes, sobre a biologia celular total.
O bom humor é a chave para a longevidade saudável!


Alfabeto Emocional pelo Dr. Juan Hitzig
https://www.youtube.com/watch?v=pkojHhtLWG8


quarta-feira, 31 de maio de 2017

Cristiano Ronaldo (CR7): a trajetória do melhor do mundo!

            Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro, mais conhecido como Cristiano Ronaldo ou CR7, é filho de Maria Dolores dos Santos Aveiro, cozinheira, e de José Dinis Aveiro, jardineiro. Quando sua mãe soube que estava grávida, aos 30 anos, já tendo 3 filhos, teve um choque, pois não tinha condições para criá-los, e num momento de desespero pensou em abortar. Na ocasião, além de não ter condições financeiras, não recebia nenhum apoio da família, mas foi convencida pelo seu médico a desistir da ideia. Portanto, em 05 de fevereiro de 1985 nasceu em Funchal, Portugal, quem viria a ser eleito, o melhor jogador de futebol do mundo!
            Vendo hoje CR7 jogando ninguém imagina as dificuldades enfrentadas pelo craque, ao longo de sua carreira, e ainda assim, ter sido reconhecido pela FIFA, por quatro vezes, o melhor jogador do mundo.
            Iniciou aos 8 anos, e quando tinha 11 o clube detectou que o menino estava subnutrido, chamando os seus pais para uma conversa. A partir daí, para buscar reverter o quadro, foi decidido que lhe dariam um prato de sopa e sanduíches antes de voltar para casa. Aos 12 anos mudou-se para Lisboa, tendo muitas dificuldades para adaptar-se e ficar longe da família, pensou até em desistir, ligava constantemente para a mãe pedindo para voltar, no entanto, a Dona Dolores manteve o pulso firme e apoiou seu filho para que se mantivesse seguindo o seu sonho!
            Uma outra adversidade enfrentada pelo jogador ocorreu aos 16 anos, quando teve a descoberta do alcoolismo do pai e a dependência química do irmão. Nessa época, mesmo ganhando pouco, conseguiu pagar o tratamento do irmão, mas não teve o mesmo êxito com o pai, que faleceu anos depois. Tempos depois ainda, a mãe Dona Dolores foi diagnosticada com câncer de mama, e saiu vencedora de mais essa batalha.
            Após todos esses contratempos Cristiano Ronaldo é considerado atualmente pela FIFA o melhor jogador do mundo e o mais bem pago, sem contar os ganhos com publicidade, fatura R$284 milhões/ano. (Fonte: Revista Forbes 2016)
Fonte: Uol
Além de jogador e empreendedor, CR7 também é um dos atletas mais caridosos do mundo. Segundo a ONG “Athletes Gone Good”, ele lidera a lista dos atletas que mais fazem caridade:
1) Cristiano Ronaldo (futebol)
2) John Cena (luta livre)
3) Serena Williams (tênis)
4) Yuna Kim (patinação artística)
5) Neymar (futebol)
            A história deste atleta pode ser resumida em algumas palavras-chaves como: superação, resiliência, família, acreditar nos sonhos, vontade de vencer!! 
Aliás, este tipo de história é muito comum no esporte, e em particular, no futebol.
                     Para finalizar seguem as Pétalas de Sabedoria do craque:

"Sem disciplina o talento não serve para nada."
"Na vida nada é impossível. É só lutar dia a dia pelos seus sonhos."
Cristiano Ronaldo